• Belemitas

A Queda do Gavião - Parte II



O Cristo que precisamos conhecer!


Logo após o nascimento de Jesus Cristo, Herodes, rei da terra de Israel, fica muito preocupado com o anúncio de que o rei dos judeus acabara de nascer (Mateus 2:1-3). Rapidamente, ele toma atitudes drásticas para tentar exterminar a criança, pois ele sabia que dois reis não podem dividir o mesmo trono. Considerando toda a história da humanidade, Herodes estava certo: só há lugar para apenas um Rei!


Os Evangelhos bíblicos registram a vida de Jesus Cristo: um carpinteiro, amigo de todos, humilde e que viveu em comunidade normalmente. Porém, após chegar à fase adulta e iniciar o seu ministério, ele anuncia algo totalmente revolucionário: ele é o próprio Deus! Em diversas ocasiões Jesus reivindica ser igual a Deus, como quando diz a um paralítico: “Filho, perdoados estão os teus pecados” (Marcos 2.5). Os escribas que viram o episódio responderam corretamente: “Quem pode perdoar pecados, senão Deus?” (v. 7).


Lemos em João 14:6 que Jesus é o único caminho para chegarmos até Deus. Isso mesmo! Não são todos os caminhos que levam até Deus, Jesus é o único caminho.


Neste breve comentário, queremos lhe convidar a contemplar a grandeza de Cristo, mesmo que para nós seja impossível contemplá-la por completo! Ele não é alguém fraco, muito menos alguém que precisa de ajuda para se levantar, ou que precisa de conselhos para tomar suas atitudes soberanas. Livre-se das imagens erradas acerca de Jesus e vejamos um pouco sobre quem ele é:


“No meio deles estava um ser parecido com um homem, vestindo uma roupa que chegava até os pés e com uma faixa de ouro em volta do peito. Os seus cabelos eram brancos como a lã ou como a neve, e os seus olhos eram brilhantes como o fogo. Os seus pés brilhavam como o bronze refinado na fornalha e depois polido, e a sua voz parecia o barulho de uma grande cachoeira. Na mão direita ele segurava sete estrelas, e da sua boca saía uma espada afiada dos dois lados. O seu rosto brilhava como o sol do meio-dia. Quando eu o vi, caí aos seus pés, como morto. Porém ele pôs a mão direita sobre mim e disse: — Não tenha medo. Eu sou o Primeiro e o Último. Eu sou aquele que vive. Estive morto, mas agora estou vivo para todo o sempre. Tenho autoridade sobre a morte e sobre o mundo dos mortos.” Apocalipse 1.13-18

No episódio da morte de Jesus na cruz, ele foi vencedor do início ao fim! Ali foi concretizado o plano eterno de Deus em estabelecer um nova e última aliança com o ser humano.


Contra um Deus que já tem todas as coisas planejadas desde antes da criação do mundo (1 Pedro 1:20), não há espaço para que o mal prevaleça em momento algum.


Pouco mudou nos últimos dois mil anos no que diz respeito à Isaías 53.

“Foi desprezado e rejeitado pelos homens, um homem de dores e experimentado no sofrimento. Como alguém de quem os homens escondem o rosto, foi desprezado, e nós não o tínhamos em estima.” Isaías‬ ‭53:3‬ ‭


Ver a cena de um suposto “Jesus” caído ao chão, oprimido por um suposto diabo inicialmente feriu nosso coração. Angustiados, sentimos a mesma revolta inicial, seguida por uma tristeza profunda. Refletindo melhor sobre o ocorrido, porém, percebemos que a História se repete.


“Então, os soldados do governador levaram Jesus ao Pretório e reuniram toda a tropa ao seu redor. Tiraram-lhe as vestes e puseram nele um manto vermelho; fizeram uma coroa de espinhos e a colocaram em sua cabeça. Puseram uma vara em sua mão direita e, ajoelhando-se diante dele, zombavam: “Salve, rei dos judeus!” Cuspiram nele e, tirando-lhe a vara, batiam-lhe com ela na cabeça. Depois de terem zombado dele, tiraram-lhe o manto e vestiram-lhe suas próprias roupas. Então o levaram para crucificá-lo.” Mateus‬ ‭27:27-31‬

Zombaria. Foi isso que tentaram fazer com Jesus mais uma vez. Talvez não entendam, porém, que aquilo que aos olhos humanos parece ser uma derrota ou motivo de escárnios, foi uma grande e definitiva vitória!! Sim! Jesus venceu! Por mais que a cruz possa parecer uma derrota pelo olhar de alguns, ela foi, na verdade, a maior vitória da humanidade. “Nele temos a redenção por meio de seu sangue, o perdão dos pecados, de acordo com as riquezas da graça de Deus, a qual ele derramou sobre nós com toda a sabedoria e entendimento.” ‭‭Efésios‬ ‭1:7-8‬


O afastamento de Deus do homem, iniciado no jardim do Éden a partir do pecado de Adão e Eva, só poderia ser vencido com o sangue. E esse sangue foi derramado na Cruz do calvário!!


O mais curioso, porém, é que essa salvação adquirida na Cruz não está limitada. Na própria Cruz, enquanto Jesus sofria o desprezo e escárnio da humanidade, amou seus zombadores pedindo ao Pai que os perdoasse (Lucas 23.34). Aos zombadores da atualidade: sintam-se amados pelo Pai. Não é pelas atitudes hostis nas avenidas do Carnaval paulistano que o Pai vai deixar de amá-los. A luta não é contra vocês. “É contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais.” ‭‭Efésios‬ ‭6:12‬ ‭NVI‬‬


A morte já foi vencida! E por meio desta vitória, por meio da graça de Jesus, todos temos acesso ao amor incondicional.


"Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.” João‬ ‭3:16‬ ‭NVI‬‬

Sinta-se parte desse todo! Bem-vindo ao amor infinito e incondicional de Jesus!