• Belemitas

Encorajamento mútuo


Encorajamento mútuo - O papel da Igreja

Está escrito na palavra de Deus, em Hebreus 10:25: "Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas encorajemo-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês veem que se aproxima o Dia."


Esse versículo demonstra a importância de estarmos reunidos na celebração do culto de adoração a Deus. A relevância de se estar junto com os outros membros da igreja é o encorajamento mútuo até que chegue o dia da volta de Cristo.


Mas, numa sociedade líquida, o quanto será que a comunhão entre os irmãos vem sendo valorizada? Será que o encorajamento deixou de ser importante?


A sociedade líquida, assim chamada por Zygmunt Bauman, caracteriza-se por comportamentos e relações rápidas, portanto fluidas, entre seus participantes. Isso fragiliza as relações não só entre as pessoas, mas também das pessoas com suas instituições de referência. Interessante reflexão foi feita a esse respeito:


“O valor dado às opções individuais e privativas e desapego às instituições, como um dos elementos da chamada pós-modernidade, onde as relações são frágeis, os objetos são descartáveis, em um tipo de sociedade conceitualmente classificada como “líquida”.[1]

Tal definição nos faz refletir acerca do quanto os membros das igrejas evangélicas têm agido dessa maneira e sobre o quão frágil é a relação dos mesmos com as suas denominações, com seus pastores e com os membros entre si. Além disso, propõe respostas à pergunta: por que muitos evangélicos mudam de igreja com tanta frequência e não conseguem se estabelecer em uma só?


Nota-se que cada vez menos os membros conhecem as suas denominações. Muitos nem sabem, ao certo, o motivo porque escolheram determinada igreja evangélica para congregar. É importante, em meio a uma sociedade líquida, trazer à memória a real necessidade de se estar junto como igreja em comunhão. Escolher uma denominação onde se possa congregar e aprofundar o conhecimento sobre suas características, por exemplo:


- Fundação – quem fundou aquela igreja? Em que contexto? Com quais perspectivas?


- Credo – Sobre quais fundamentos essa igreja está estabelecida?


- Doutrinas – Qual a base de fé da Igreja?


- Usos e costumes


- Ações sociais e envolvimento na comunidade


A partir disso, o crente vai tendo um maior conhecimento daqueles junto dos quais serve a Deus.


Ter uma referência de irmãos, pastores e líderes é de suma importância. Afinal, está escrito em I Co 14:26: “Portanto, que diremos, irmãos? Quando vocês se reúnem, cada um de vocês tem um salmo, ou uma palavra de instrução, uma revelação, uma palavra em uma língua ou uma interpretação. Tudo seja feito para a edificação da igreja.” Quando nos reunimos como igreja, os talentos de cada um são usados na edificação do outro. É isso que nos encoraja mutuamente a sanarmos dia a dia as dúvidas relacionadas à fé e aguentarmos as aflições da vida. Está aí o encorajamento a que o autor da carta aos Hebreus se referiu. Afinal, cada parte do corpo de Cristo tem sua importância no todo, como está escrito no livro aos Romanos, capítulo 12.


Paulo enfatiza, ainda, a edificação mútua entre os irmãos, cada um com seus dons e talentos, em outros dois outros trechos da Bíblia:


“E ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres, com o fim de preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado, até que todos alcancemos a unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, e cheguemos à maturidade, atingindo a medida da plenitude de Cristo.” Ef 4:11-13
“Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo. Dele todo o corpo, ajustado e unido pelo auxílio de todas as juntas, cresce e edifica-se a si mesmo em amor, na medida em que cada parte realiza a sua função.”Ef 4:15-16

Fica claro, portanto, a importância de estarmos reunidos, sempre com o propósito de crescimento e amadurecimento espiritual.


A pandemia pelo novo coronavírus deixou clara, a meu ver, a importância de reuniões presenciais nas igrejas. Apesar de muitos líderes evangélicos terem mantido as pregações e cultos online durante o período de fechamento dos templos, e apesar de muitas igrejas incentivarem seus membros a se manterem conectados durante esse período – seja por ligações telefônicas entre os mesmos, seja por reuniões em aplicativos especiais, seja por ajuda social – não se alcançou o acolhimento que ocorre quando se vai à igreja de forma presencial. Mesmo que ainda não possam se abraçar e se confraternizar da forma como “o brasileiro gosta”, cultuar presencialmente, ainda que respeitando o distanciamento social, traz novo ânimo. Olhar nos olhos do seu irmão, ouvir sua voz, ver seus pastores “ao vivo”, trazem o encorajamento bíblico tão importante para a manutenção da fé dos irmãos.


Que possamos refletir sobre o que a Bíblia diz a respeito de congregarmos na igreja e voltarmos a dar a importância necessária a pertencermos a determinada denominação e ter uma igreja de referência.


[1] Proença, Wander de Lara. História do Cristianismo III – FTSA. 2020. p 177






Posts recentes

Ver tudo