• Belemitas

O Retrocesso Necessário



Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, e pratica as primeiras obras... “ Apocalipse 2;4-5a

Quando experimentamos o amor de Deus pela primeira vez e percebemos o quão maravilhoso Ele é, o nosso anseio por Jesus aumenta de forma tão radical que passamos a viver intensamente nEle, por Ele e para Ele.


Porém, com o passar do tempo, nossos afazeres, compromissos e até a religiosidade podem gerar uma perda de comunhão que, lentamente, diminui esse primeiro amor pelo Mestre.


Muitas vezes, até possuímos boas obras, perseverança, santidade e outras qualidades, porém, o nosso anseio por Jesus e aquela chama que ardia em nosso coração já não são mais os mesmos e, aos poucos, esquecemos do amor inicial.


Assim também estava a igreja de Éfeso. Embora tenha sido elogiada por suas boas obras e condutas íntegras, Jesus viu que eles acabaram abandonando o primeiro amor, se tornaram frios e mecânicos.


Para Éfeso, era mais do que necessário retroceder, voltar às primeiras obras. Era preciso reatar o primeiro amor por Jesus; a igreja precisava se arrepender. O primeiro amor é como um fogo que arde em nós, porém ele se esfria se falharmos em mantê-lo acesso.


Porventura você permitiu que algo roubasse o seu primeiro amor? Se isso aconteceu, ainda há tempo de voltar. O primeiro mandamento que Cristo nos deixou foi: “Amarás ao Senhor teu Deus de todo o seu coração, alma e entendimento” (Mateus 22:37). Se esse amor tem diminuído, ou até mesmo se apagou por completo, é preciso parar e reparar a vida devocional com o ABBA. Reflita sobre onde esse amor pode ter começado a se perder. Comece hoje essa caminhada de retrocesso. Se o seu primeiro amor se perdeu no caminho do Evangelho, faça como aquela mulher que ao perder a sua dracma, acendeu a candeia e varreu a casa até encontrá-la (LC 15;8); regresse ao primeiro amor.