• Belemitas

Você é um deles?



“Hey, você é um deles!”[1] Foi isso o que disseram de Pedro antes dele fugir na fatídica noite em que Jesus foi preso. Ele talvez estivesse assustado diante de tudo o que ocorreu, porém sempre pensamos que Pedro teve três oportunidades para mudar a sua resposta e não foi o que aconteceu. Até pensamos que se tivéssemos vivido ao lado de Jesus, assim como ele, jamais faríamos aquilo. No entanto isso é mais comum do que percebemos.


No momento em que ocorria o interrogatório de Jesus, ser reconhecido como parte do grupo que o seguia talvez significasse morrer - muitas eram as pessoas que estavam revoltadas com o Nazareno - e o medo foi o responsável para que Pedro preferisse a sua identidade de simples pescador ao invés de ser reconhecido como parte de um grupo ao qual afirmou jamais abandonar, ou, até mesmo, morrer em favor.


Em nossas vidas não é diferente. Todos os dias nós recebemos dardos inflamados das mais diversas formas. Você e eu sabemos como eles chegam até nós, e por vezes decidimos agir por conta própria, sem consultar o Senhor, assumindo a nossa própria identidade. Abrimos mão das ordens do nosso Deus com a finalidade de buscarmos a nossa marca, os nossos interesses, e o resultado são tropeços e caminhos solitários. Isso nos afasta de Deus e é aí que as pessoas passam a nos enxergar em vez de enxergar Cristo. É possível que em algum momento dos nossos dias, por conta destes desejos, neguemos a Jesus também.


Se ficarmos sem Jesus, as pessoas vêem nossos pecados, nos rotulam de coisas desagradáveis e nos machucam. Ficar fora do alvo traz consequências hiper negativas como a solidão, humilhação, o medo, ou até mesmo perder a vida.


Sem Jesus, Pedro era apenas um limitado pescador[2]; sem Jesus, Maria Madalena era a mulher possuída[3]; sem Jesus, Paulo era o grande Saulo, estudioso das leis que perseguia e matava a custo de prestígio[4]. E você que se diz parte do grupo de Jesus, quem as pessoas enxergam: a Cristo ou a você?


Após um momento de reflexão o Senhor espera que tenhamos a mesma percepção de João: “é necessário que ele cresça e que eu diminua”[5] e a mesma constatação que Paulo teve: “vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim”[6] e assim nos entregarmos ao chamado de Deus, por mais que isso custe seu nome, sua reputação social, ou a sua própria vida.


Que não deixemos que o medo, os desejos, o nosso eu seja superior ao que Deus preparou para nós, mas que seja motivo de alegria fazer parte DELES!


-


[1]Quando a criada o viu lá, disse novamente aos que estavam por perto: "Esse aí é um deles" - Marcos 14:69.

[2] João 1:42; Mateus 26:73; Marcos 14:70

[3] Lucas 8:2; cf. Marcos 16:9

[4] Atos 9:1-2

[5] João 3:30.

[6] Gálatas 2:20.